Sistema de Inovação do Brasil

O CGEE publicou um estudo com propostas para o sistema de inovação brasileiro. Segue o link:

O trabalho foi desenvolvido pelo Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), em parceria com os economistas Mariana Mazzucato e Caetano Penna, por meio da Universidade de Sussex (UK), para subsidiar a elaboração da Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (2016-2020) do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

Fonte: The Brazilian Innovation System – CGEE

Anúncios

Industrialização e desenvolvimento (artigo recomendado)

Boa resenha da discussão sobre o tema.

Este artigo recupera os elementos essenciais do debate sobre o papel do processo de industrialização para o desenvolvimento econômico brasileiro. O artigo analisa diversos momentos deste debate, desde suas origens até as recentes discussões sobre a desindustrialização. Argumenta-se que a evolução do tema influencia e é influenciada pelas condições históricas vigentes. Sua conclusão central é que o debate é profundamente marcado pelos diferentes pontos de partida teóricos e metodológicos adotados pela literatura

Palavras-chave: História do pensamento econômico; Economia brasileira; Industrialização; Estrutura produtiva e desenvolvimento; Heterodoxia x Ortodoxia.

via Economia e Sociedade – Industrialização e desenvolvimento: uma análise do pensamento econômico brasileiro.

Darwins conjecture: resenha

Boa resenha do livro na Economia e Sociedade que acabou de sair (na internet pelo menos).

A busca pela compreensão das conexões que ligam o campo socioeconômico aos fenômenos estudados pelas ciências da vida é matéria recorrente nas ideias econômicas. Porém, se de um lado o tema aparece com considerável frequência na história da literatura econômica, também não podemos deixar de perceber que essas ideias nunca foram objeto de tratamento sistemático. Nesse aspecto, desde o pioneirismo de Marshall 1890, com sua visão populacional acerca do conjunto das firmas, passando pela controversa ideia de seleção natural de Alchian 1950, até a concepção de genética organizacional de Nelson e Winter 1982, é possível reconhecer que ao longo do tempo, vários pensadores acabaram por encontrar na metáfora, ou analogia biológica, um atalho profícuo para uma compreensão substancialmente darwiniana acerca da dinâmica dos fenômenos populacionais econômicos.

via Economia e Sociedade – Darwins conjecture: the search for general principles of social & economic evolution.

ESTADÃO: ‘Empresas do País não inovam porque não precisam’, diz Passos

É o caso da cenoura e do chicote, mas só temos a cenoura. O debate é encaminhado para que se chegue à conclusão por mais abertura comercial. OK, mas não vamos nos esquecer da possibilidade de contrapartidas (como no regime automotivo) ou exigência de exportação (como nos casos clássicos asiáticos).

“As empresas brasileiras não inovam porque não precisam.” Assim o empresário Pedro Passos, cofundador e presidente da Natura, resumiu a mensagem de sua palestra ontem para uma pequena audiência de pesquisadores na Reunião Magna da Academia Brasileira de Ciências (ABC), no Centro do Rio.

Passos fazia parte de uma mesa de cientistas e empresários, reunidos para debater os desafios de estimular a pesquisa e desenvolvimento (P&D) para j inovação tecnológica nas empresas brasileiras. Segundo Passos, não há estímulo nem necessidade para fazer inovação no Brasil, porque a maioria das indústrias nacionais ou vive de exportar matérias-primas ou vende seus produtos somente para o mercado interno, no qual a competitividade é baixa.

“Quem não disputa mercado internacional tem mercado cativo em casa, o que faz com que a empresa não precise inovar”, disse. “No mercado nacional há mais incentivos, o risco é menor, o apetite de inovação é menor, e a empresa pode oferecer um produto de qualidade inferior. Esse é o quadro.”

via ‘Empresas do País não inovam porque não precisam’, diz Passos — Portal ClippingMP.

Seleção Natural e Econômica

Um dos pontos centrais de qualquer teoria evolucionária é a seleção. O artigo a seguir foca este aspecto.

Natural and Economic Selection – Lessons from the Evo-Devo and Multilevel Selection Debate

This paper sheds new light on the concept of selection in evolutionary economics. The interpretation of natural evolution has experienced significant changes in the last decades, while these developments have been often ignored by economists. This is especially true for the concept of selection, a key concept in many evolutionary approaches. In economics as well as in biology, selection is seen as a central mechanism, which mediates for example the spread of information and innovation, the coordination of groups of agents and the optimization of their behavior. In this article we are aiming to explore the actual significance of selection as a major explanatory principle in economics. Starting with an analysis of a modern and modified understanding of the selection mechanism in nature we will draw some conclusions for its use in economics.

via Heterodox Economics

Trabalhar em casa

Aqui entra meu interesse pessoal. Não tinha visto ainda o tema em um estudo mais acadêmico (só dentro das revistas de marketing mesmo). Uma crítica que tenho lido (e que me pareceu mais justa) é que a colaboração é grande parte do resultado de uma equipe e que separar fisicamente não pode aumentar isto. Entendo no entanto que aumenta satisfação e pode (no geral) aumentar tanto o trabalho produzido quanto a qualidade de vida do trabalhador.

About 10% of US employees now regularly work from home WFH, but there are concerns this can lead to “shirking from home.” We report the results of a WFH experiment at CTrip, a 16,000- employee, NASDAQ-listed Chinese travel agency. Call center employees who volunteered to WFH were randomly assigned to work from home or in the office for 9 months. Home working led to a 13% performance increase, of which about 9% was from working more minutes per shift fewer breaks and sick-days and 4% from more calls per minute attributed to a quieter working environment. Home workers also reported improved work satisfaction and experienced less turnover, but their promotion rate conditional on performance fell. Due to the success of the experiment, CTrip rolled-out the option to WFH to the whole firm and allowed the experimental employees to re-select between the home or office. Interestingly, over half of them switched, which led to the gains from WFH almost doubling to 22%. This highlights the benefits of learning and selection effects when adopting modern management practices like WFH.

via Does Working from Home Work? Evidence from a Chinese Experiment.

Mais online, mais diversificado

A ideia básica é que conhecimento é como montar blocos. Mais peças e peças mais variadas me permitem montar estruturas mais diversas. O artigo então vai atrás de saber se colocar os arquivos dos jornais de economia online, aumentando sua disponibilidade, levou a um aumento da diversificação nas fontes dos novos artigos. Livre para baixar no site linkado. Seria um ambiente com mais conhecimento aberto então um ambiente onde a inovatividade nas ideias é maior também?

A key aspect of generating new ideas is drawing from different elements of preexisting knowledge and combining them into a new idea. In such a process, the diversity of ideas plays a central role. This paper examines the empirical question of how the internet affected the diversity of new research by making the existing literature accessible online. The internet marks a technological shock which affects how academic scientists search for and browse through published documents. Using article-level data from economics journals for the period 1991 to 2009, we document how online accessibility lead academic economists to draw from a more diverse set of literature, and to write articles which incorporated more diverse contents.

via UZH – Department of Economics – Working Paper Series.