Multiplicadores Fiscais ao longo do ciclo

O Rodrigo Orair do IPEA, especialista em política fiscal, o mesmo que calcula o déficit estrutural do Brasil e que já vi palestrar, tirou segundo lugar no prêmio do Tesouro Nacional este ano com um trabalho de estimação dos multiplicadores fiscais ao longo do ciclo econômico, com um modelo STVAR. A conclusão dele é que os multiplicadores são maiores que um nos momentos de baixa e menores nos momentos de alta no ciclo, o que pode explicar por que usualmente trabalhos que utilizam coeficientes invariantes no tempo obtém o resultado de multiplicadores menores que um. Outro ponto importante é a separação da eficiência por instrumento de política. Por exemplo, as isenções FISCAIS sempre teriam multiplicador menor que um, independente da etapa do ciclo.

Segue o link: http://bit.ly/2fG18oE

Anúncios

Industrialização e desenvolvimento (artigo recomendado)

Boa resenha da discussão sobre o tema.

Este artigo recupera os elementos essenciais do debate sobre o papel do processo de industrialização para o desenvolvimento econômico brasileiro. O artigo analisa diversos momentos deste debate, desde suas origens até as recentes discussões sobre a desindustrialização. Argumenta-se que a evolução do tema influencia e é influenciada pelas condições históricas vigentes. Sua conclusão central é que o debate é profundamente marcado pelos diferentes pontos de partida teóricos e metodológicos adotados pela literatura

Palavras-chave: História do pensamento econômico; Economia brasileira; Industrialização; Estrutura produtiva e desenvolvimento; Heterodoxia x Ortodoxia.

via Economia e Sociedade – Industrialização e desenvolvimento: uma análise do pensamento econômico brasileiro.

IPUMS International

I/O Session II - Lost Bits 4

O IPUMS é um site que coleta dados de censo de diversos países e é muito útil para estudos que necessitam de microdados ou dados de painel. Nele é possível encontrar, por exemplo, censos antigos do Brasil (porém apenas amostras) e de outros países. Vale a pena dar uma fuçada.

IPUMS-International is an effort to inventory, preserve, harmonize, and disseminate census microdata from around the world. The project has collected the world’s largest archive of publicly available census samples. The data are coded and documented consistently across countries and over time to facillitate comparative research. IPUMS-International makes these data available to qualified researchers free of charge through a web dissemination system.

via IPUMS International.

De Gucht avisa…

O que vai volta.

Ou melhor, ao invés de pensar só na consequência imediata da política, pense nos efeitos de segunda ordem. Mais ainda, pense nas reações que a política causa e os efeitos das reações.

“These types of moves are of course a problem for Argentina and Bolivia – which will find it harder to secure the international investment they need … But they are also a problem for Brazil – because it has so much to lose from a trend towards protectionism in the region,” the commissioner said.

via EU warns of growing LatAm protectionism – FT.com.

Financial Times: acordo automotivo Brasil – México

Pneumático

Finalmente resolvido o imbróglio desse acordo comercial entre Brasil e México. Ficou parecendo pela cobertura que era um caso de mimimi do Brasil, que enquanto está “se dando bem” o acordo vale e assim que o jogo muda “não quero mais brincar”. E até pode tido um pouco disso mesmo. Mas o mais importante como resultado foi que o acordo foi modificado para que os carros mexicanos tenham um conteúdo genuíno local de 40% ao invés de 30%. Assim o acordo realmente fica entre os dois países e é menos abusável por alguém de fora.

In February, Brazil said it was considering ending a 2002 treaty, which gives the two countries preferential access to each other’s car markets. Brazil raised the possibility after imports of Mexican cars jumped more than 30 per cent to $1.7bn, according to Mexican figures.

The threat was the latest in a series of moves by Brazil to protect domestic industry from a rising tide of imports.

via Brazil and Mexico end cars battle – FT.com.

As 10 empresas mais inovadoras do Brasil – O Globo

Algumas são bastante forçadas… Vale a intenção do ranking.

Uma empresa de agentes biológicos para matar pragas, sem causar os danos dos pesticidas, é a número 1 do ranking das dez companhias mais inovadoras do Brasil. Além da Bug Agentes Biológicos, nomes mais conhecidos como o Grupo EBX, de Eike Batista, a Embraer e a Petrobras estão no ranking da revista americana Fast C@ompany.

O ranking brasileiro faz parte da eleição das 50 empresas mais inovadoras do mundo. Confira, abaixo, um pouco do perfil das representantes brasileiras e a justificativa da revista para ocuparem as respectivas posições:

via O Globo

Por que indústria?

Pincei do artigo de hoje do Valor Econômico sobre estagnação industrial no Brasil. O artigo completo traz uma explicação do marasmo industrial atual e do dinamismo anterior mas achei mais interessante puxar este parágrafo que resume o pensamento corrente de um grande número de especialistas da área.

O grau de dinamismo de uma economia é determinado pelas perspectivas de expansão daquele setor de atividade que for mais favorável ao crescimento de longo prazo. Esse setor é, e continuará sendo por um longo tempo, a indústria. O setor industrial é o ramo de atividade econômica responsável pela origem e difusão do progresso tecnológico para a economia como um todo, fonte de economias estáticas e dinâmicas de escala e que possui os maiores efeitos de encadeamento para frente e para trás na cadeia produtiva. Em função dessas características peculiares do setor industrial, as perspectivas de crescimento da economia como um todo dependem, em larga medida, da dinâmica da produção industrial.

via José Luis Oreiro